Tecnologia em materiais

Decoração

Pedra sinterizada: saiba o que é e as indicações de uso do acabamento

Sharon Abdalla
Sharon Abdalla
18/09/2020 19:43
Thumbnail
A tecnologia possibilita cada vez mais e melhores opções de revestimentos e acabamentos, sejam eles para pisos, paredes ou mobiliário. Entre os mais recentes, e que conquistam cada vez mais espaço nos projetos residenciais, estão as pedras sinterizadas, compostos de materiais naturais que têm na alta resistência e performance seus principais atrativos.
E você já deve ter ouvido falar delas, mas provavelmente por outras nomenclaturas. Isso porque as chapas, como são comercializadas, costumam ser apresentadas ao mercado pelos seus nomes comerciais: Dekton, Neolith, Lapitec e Atlas Plan estão entre eles.
Pedra sinterizada aparece com diferentes usos no projeto da cozinha. Foto: Atlas Plan/NPK Mármores/Divulgação
Pedra sinterizada aparece com diferentes usos no projeto da cozinha. Foto: Atlas Plan/NPK Mármores/Divulgação
"A sinterização é o processo industrial. As indústrias chamam assim o resultado do processo de compactação do pó de matérias-primas naturais, como feldspato, quartzo, caulim, argila, cuja mistura é submetida a elevadas temperaturas [para a produção das chapas]", explica Debora Merhy, diretora comercial da NPK.

Características

Diferente das pedras naturais, as pedras sinterizadas não são porosas, o que faz com que sejam resistentes a manchas - devido à absorção de líquidos praticamente nula. Essa característica também as torna de fácil limpeza, bastando uma esponja macia ou pano úmido e detergente neutro para a higienização das superfícies.
Mas é sua resistências às altas temperaturas o que mais atrai a atenção para elas no desenvolvimento de projetos. "Elas são muito resistentes ao calor e, também, à abrasão, o que faz com que sejam ideais para usar principalmente em bancadas de cozinhas [e áreas gourmets], onde há mais chance de contato [da superfície] com panelas quentes e utensílios cortantes, que podem riscar a bancada. Elas também resistem aos raios UVs, o que faz com que possam ser utilizadas em ambientes externos", aponta a arquiteta Lisa Zimmerlin, à frente da Unic Arquitetura juntamente com Carolina Danylczuk.
A resistência a altas temperaturas é o grande diferencial do material. Foto: Atlas Plan/NPK Mármores/Divulgação
A resistência a altas temperaturas é o grande diferencial do material. Foto: Atlas Plan/NPK Mármores/Divulgação
Em diferentes padrões de acabamento - polidas, mate, imitando pedras naturais, coloridas - as chapas também podem ser utilizadas para o revestimento de fachadas, piscinas e móveis, por exemplo, uma vez que sua espessura varia de 6 mm a 2 cm, em média. Seu alto valor no comparativo com outras opções de revestimentos (o metro quadrado passa dos R$ 1 mil, o que é mais que o dobro da metragem do quartzo, por exemplo) faz, no entanto, com que seu investimento seja direcionado para as áreas nas quais sua alta resistência é melhor aproveitada, como as que envolvem a manipulação de alimentos.
"O formato das chapas permite bancadas grandes, sem juntas. [Caso elas não sejam utilizadas integralmente], podemos otimizá-las utilizando as sobras em banheiros, blocos de lareira e até na confecção de bandejas, com sobras pequenas", sugere Lisa.

Enquete

Você sabe quais são as vantagens de contratar um projeto de arquitetura para sua obra de reforma ou construção?

Newsletter

Receba as melhores notícias sobre arquitetura e design também no seu e-mail. Cadastre-se!